quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Operadoras estão proibidas, de reduzir a velocidade de quem ultrapassar o limite.

Operadoras estão proibidas, por enquanto, de cortar a internet, cobrar a mais ou reduzir a velocidade de quem ultrapassar o limite.

As operadoras de internet fixa haviam anunciado que em 2017 começariam a cobrar pelos dados consumidos além dos limites de franquias contratados. Uma decisão da Anatel suspendeu essa cobrança até que uma decisão final seja tomada. Até o dia 30 de abril você pode participar da consulta pública da Anatel sobre o assunto clicando emhttp://bit.ly/2fNRqnA .


Créditos
Agradecimentos: Senado Federal
Em: 11/01/2017

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

PEC torna inelegível candidato que já foi duas vezes chefe do Executivo

Proposta torna inelegível candidato que já foi duas vezes chefe do Executivo.
Resultado de imagem para palacio planalto
Fachada do Palácio do Planalto: Roberto Stuckert Filho/PR

Uma mudança na Constituição pode proibir uma nova eleição de candidatos que já tenham exercido por duas vezes mandato de chefe do Poder Executivo. De iniciativa do senador Paulo Bauer (PSDB-SC) e apoiada por outros senadores, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 41/2016 está aguardando designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

A medida atingiria os cargos de prefeito, governador e presidente da República. A proibição deve ocorrer mesmo que os cargos tenham sido exercidos em estados ou municípios diferentes, de forma não consecutiva e ainda que em decorrência de sucessão ou substituição nos seis meses anteriores ao pleito. O autor da PEC registra que nos Estados Unidos, desde 1951, quem é eleito presidente da República só pode exercer dois mandatos, consecutivos ou não.

Paulo Bauer lembra que, com base no atual ordenamento constitucional, nada impede que um cidadão já reeleito para a chefia do Poder Executivo exerça o cargo novamente, desde que observado o intervalo mínimo de uma legislatura. O senador argumenta que, na prática, essa medida permite a perpetuação de uma mesma pessoa ou grupo no poder, o que conflitaria com princípios republicanos, como a temporariedade e a alternância.


Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)


Créditos
Fonte: agenciasenado

O que pode fazer o dólar subir ou cair em 2017

Veja o que pode fazer o dólar subir ou cair em 2017

Para o brasileiro que viu no começo de 2016 o dólar chegar a R$ 4,10 e depois registrar uma desvalorização de 19,57% no ano, 2017 será mais um ano de altos e baixos. A política de Donald Trump e as reformas no Brasil são alguns doss motivos para o câmbio variar este ano. O diretor de câmbio da FB Capital, Fernando Bergallo elege cinco fatores que poderão levar a oscilações em 2017.

Segundo Bergallo, a relação do preço do dólar com a inflação não parece ser evidente em um primeiro momento, porém as consequências da inflação no mercado de juros estão diretamente relacionadas. "De acordo com a queda da inflação, teremos também uma queda na Selic (a taxa básica de juros). Com isto, o Brasil passa a remunerar seus títulos de forma menos atrativa, reduzindo, em tese, o fluxo cambial para cá"

Com relação à aprovação e implantação das medidas de ajuste fiscal (em especial as reformas da previdência e trabalhista), o País tende a trazer ou afastar investidores para o setor produtivo. Com isto, também temos impacto na oferta e demanda de dólares e, por consequência, na cotação da moeda estrangeira.
Créditos:
Fonte: msn/Estadâo
Ilustração: Google